Acontece no Gacc

GACC e outras ONGs traçam estratégias para o Dia de Doar

O Dia de Doar é uma data de solidariedade que vai se consolidando cada vez mais, e que traz a melhor ação como um passo além num dia específico do ano: sempre na primeira terça-feira de dezembro. Esse dia abarca hoje mais de 30 municípios trabalhando em âmbito nacional. É uma construção conjunta que está no seu quarto ano como fomento da cultura de doação.

Em Aracaju, o projeto foi discutido nesta quarta-feira, 13 de novembro, na T3 Consultoria, e auxiliou todos os colaboradores presentes a engajarem a sociedade sergipana nas causas humanitárias. Representantes do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC), participaram da reunião.

“Apresentamos problemáticas e projetos, ouvimos propostas e buscamos a sensibilidade”, explica Fred Gomes, supervisor da Comunicação Social do GACC, que enquanto instituição tomou a iniciativa de convidar a todos para a reunião realizada.

A ação das ONGs se traduz em uma oportunidade de doar aquilo que as pessoas podem contribuir, fazendo a diferença mesmo na lembrança da necessidade do outro quando se substitui algo que não mais se necessita.

“Sim, essa sementinha que está sendo plantada já ocorre há quatro anos. Queremos fomentar a cultura de doação no país e queremos que vocês nos ajudem a regar ela”, diz Ulla Ribeiro, gerente geral do GACC e participante do projeto. Ela garante que ajudar aqueles que precisam é valorizar o próximo.

Esse Dia D, da solidariedade, vem também como resposta quanto a desunião do terceiro setor, que infelizmente ainda se faz presente. É a oportunidade de todos compartilharem esforços e adquirirem recursos em conjunto que começou anos atrás em Sorocaba, São Paulo, inspirada no sucesso da ação solidária que se dá nos Estados Unidos sempre após a Black Friday.

“Precisamos deixar a visão estritamente de mercado e nos juntarmos pelas causas importantes”, contribui à reflexão o empresário Sandro Ribeiro, representante da ONG Ciras.

Fred Gomes defende que a união é a marca dessa iniciativa, que traz mais tolerância em tempos de ódio e desavenças políticas que não agregam em nada. Afinal, ajudar crianças, idosos, comunidades carentes e os mais vulneráveis desperta um sentimento de comunidade que por vezes parece esquecido. Traz um quê de pertencimento a uma sociedade para aqueles que buscam um presente e um futuro com mais justiça e afetividade.

“Buscamos parcerias com supermercados, assim como com escolas e faculdades, instituições de ensino. Dinheiro não é a única forma de se solidarizar, você pode doar sangue, através da nossa parceria com o Hemose, doar cabelo, pela parceria com alguns salões. Esse dia pode ser marcado pelas pequenas e grandes coisas”, explica Regimari Dias, Analista de Captação de Recursos do GACC.

Mantimentos, ítens básicos de higiene, o tempo não é uma questão determinante para esse ato de amor compartilhado. A lógica é de que quem não pode em um momento, pode ajudar no outro ou de outra forma, mas hoje é preciso desenvolver essa consciência sobre a importância da sociedade enquanto rede de apoio. “É doar sorrisos e abraços, ser uma empresa parceira ou um voluntário. É mostrarmos que nos importamos”, completa Fred Gomes.

Além do GACC, o evento desta quarta-feira contou com a presença de representantes de diferentes instituições que se fizeram presentes, as instituições Cultivar, Ciras, Asuv e Centro Acadêmico Estácio. Reforçando que o Dia de Doar ocorrerá no próximo três de dezembro e que a sua participação é muito importante para o sucesso da ação.

Onde doar nesse período em Sergipe?
Por enquanto, o grupo conta com a Feira Mix, localizada na Orla da Atalaia, na capital Aracaju, e um ponto no Shopping Peixoto, em Itabaiana.
Conheça mais sobre o projeto através das redes sociais e acesse o diadedoar.org.br