Acontece no Gacc

Crianças se divertem na Festa Junina do GACC

A Festa Junina do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC) foi realizada na manhã desta terça-feira, 18 de junho, no Espaço Salão de Festas, no Centro de Aracaju e reuniu acolhidos, familiares, colaboradores e voluntários da instituição. O evento foi abrilhantado com um show do cantor Danielzinho, que foi uma das atrações musicais da ação.

A gerente do GACC Sergipe, Ulla Ribeiro, vibrou com a festa e disse que desde a fundação do GACC, há 20 anos, a comemoração junina está na agenda no calendário das crianças. “Reunimos as crianças para momentos alegres. Todas as datas comemorativas que o GACC proporciona tem o objetivo de levar a humanização às famílias, com dias diferentes, saindo da rotina de hospital e do uso de medicamentos”, orgulha-se.

Para a realização do tradicional festejo, Ulla reforça que as parcerias são fundamentais em diversos aspectos, especialmente na distribuição de presentes. Para a edição deste ano, um empresário de Ribeirópolis de nome Edgar Silva foi o responsável pela entrega de 63 brinquedos para as crianças. “Conheci Ulla e Fred e nos juntamos para fazer uma ação em Poço Redondo com minitrio e presentes, a partir daquele momento despertou isso em mim”, salienta Edgar.

Envolvido com a causa há 12 anos, o cantor sergipano Danielzinho costuma fazer apresentações como a de hoje no festejo junino, além de ajudar com doações. Ele recorda que seu trabalho junto ao GACC ocorre desde a época em que trabalhava com a banda ‘Forrozão Quarto de Milha’. “Sou uma pessoa muito religiosa, vim de família muito humilde e essa é uma causa que me comove. Hoje que temos uma condição financeira melhor, é sempre bom compartilhar, Deus ajuda”, ressalta o cantor.

Entre as várias crianças presentes estava a Kemilly, de apenas cinco anos de idade. A mãe, Cláudia Silva, diz que é a segunda vez que participa do evento e que, apesar de estar assistida apenas há dez meses pelo GACC, já sente a importância do grupo para o acolhimento das crianças. “É um apoio que passa uma segurança para a gente. Quando descobrimos (o câncer) ficamos abatidos e tristes, com o pensamento de que tudo iria acabar, mas eles vêm e trazem a esperança de volta”, exalta Cláudia.