Notícias

VER TODAS

Projeto Dodói foi lançado no HUSE

O momento foi de total alegria

Visando humanizar o tratamento de pacientes oncológicos de forma lúdica, foi lançado na manhã de hoje (12), o projeto “Dodói” desenvolvido pela Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), em parceria com o Instituto Maurício de Souza e praticado aqui em Aracaju (SE), pelo Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC/SE), na Oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) às 8h30, com a presença dos personagens da ‘Turma da Mônica’, que interagiram com as crianças de maneira super especial.

A coordenadora do setor de oncologia do HUSE, Meire Jane Feitosa, ressaltou que é um projeto de extrema importância para o tratamento da criança com câncer. “A gente espera que esse projeto traga para as crianças a capacidade de voltar a sorrir, voltar a se emocionar. E que elas possam também expressar através das brincadeiras tudo aquilo que ela está sentindo, se está com dor, triste, se está com febre, frio, calor, enfim, é um projeto maravilhoso em que estamos esperando muito dele”.  

A gerente geral do GACC, Ulla Ribeiro, fez o lançamento oficial do projeto “Dodói” à todos que estavam no local, e explicou um pouco para que as pessoas ficassem cientes de que essa, é mais uma forma de evitar a dor e o sofrimento nos leitos do hospital, com os bonequinhos da ‘Turma da Mônica’, e outras atividades lúdicas dentro desse tema. “A aplicabilidade será com uma equipe de voluntários que foi capacitada para atuação, sendo que aqui a multiplicadora será Márcia, terapeuta ocupacional do HUSE, e a criança sempre estará acompanhada para desenvolver as atividades. É importante lembrar que ele envolve toda rede de contato com a criança à exemplo do cuidador, voluntário, equipe médica e os pais. Quero muito agradecer à equipe do HUSE, à Meire, por ter abraçado com muito carinho o projeto, também à ‘Turma da Fantasia’, que se caracterizou com os personagens que fazem parte do projeto, à equipe de voluntários, imprensa, e quero dizer a vocês que o GACC distribuirá os Kits (Bonecos, jogos, histórias em quadrinho, máscara) para toda criança que está em tratamento do câncer aqui na oncologia, sendo do GACC ou de outras instituições. Espero que o projeto faça muitas crianças felizes em nosso Estado”.  

O médico oncologista pediátrico, Venâncio Lopes, avaliou que todos os esforços que são feitos no intuito de ajudar no tratamento são válidos. “Um projeto que venha ajudar a criança que sofre com quimioterapia, e decorrente disso tem desconforto e dor, qualquer coisa que a faça sentir-se melhor e fique mais feliz é ótimo, ainda mais com esses personagens que foram tão marcantes na vida de todo mundo. Do ponto de vista psicológico não tenha dúvida que tudo isso vai melhorar o estado não só das crianças, mas dos pais também. Porque muitas vezes enfrentar o problema do câncer infantil é mudança total da rotina de vida, cheia de apreensões, angústias, então isso é muito importante. A gente só toma um pouquinho de cuidado porque nem sempre gostaríamos de fazer tudo o que a gente queria, porque em alguns setores as crianças precisam de isolamento, de um certo cuidado em especial, mas tudo com organização dá para se melhorar”.

A voluntária, Mônica Oliveira, que faz parte do projeto “O amor é Contagioso”, e que já convive com crianças dentro dos hospitais, observou que esse novo projeto só vem para reforçar mais seu amor às crianças. “Fazer parte do projeto ‘Dodói’ é algo grandioso, pois me faz sentir um ser humano maior e melhor. Não que eu seja, pois todos os dias eu aprendo com o voluntariado do GACC ao qual eu faço parte aqui no hospital, mas eu cresço sabendo que posso ajudar as crianças à amenizarem a dor que elas passam durante o tratamento. Creio que a receptividade das crianças em relação aos bonecos será maravilhosa, pois tudo o que é novo para elas e ajuda com suas enfermidades, é algo para se comemorar”.

A terapeuta ocupacional, Márcia Larissa, observou que a implantação do projeto está se efetivando hoje, mas que houve uma capacitação ano passado em São Paulo (SP), em que ela e uma equipe do HUSE, juntamente com alguns representantes do GACC/SE, foram capacitados para saberem lidar com o projeto aqui em Aracaju. “Nós vamos avaliar o projeto à medida que forem entregues os kits para as crianças diagnosticadas com câncer, e isso só vem auxiliar de forma lúdica na humanização dos mesmos, trazendo alegria à todos”.

Os personagens da ‘Turma da Mônica’ foram até o setor de oncologia pediátrica, onde visitaram as crianças em seus leitos, e foi perceptível a alegria estampada no rosto de cada uma delas. Elas conversavam com eles como se estivessem nas revistas em quadrinhos. Os funcionários do Hospital também ficaram comovidos e participaram da brincadeira, junto com a emoção das crianças.